Brinquedos não muito inocentes

0

Os órgãos de defesa do consumidor Electronic Privacy Information Center (EPIC – EUA) e European Consumer Organization (BEUC) estão exigindo que as autoridades ligadas à proteção de dados apresentem medidas de proteção contra possíveis abusos causados por brinquedos conectados.

Os órgãos citam dois exemplos de brinquedos estudados pelo Norwegian Consumer Council, membro do BEUC, que mostram como esses dispositivos “falham miseravelmente quando se trata de garantir os direitos do consumidor à segurança e à privacidade”.

Os brinquedos estudados contam com software de reconhecimento de fala criado para interagir com as crianças. A EPIC e a BEUC afirmam que as fabricantes coletam os dados gerados nessa interação para outros objetivos como a alimentar campanhas de marketing.

Comments are closed.